Como descobrir se uma mulher é lésbica ou bissexual?

A cantora evangélica Jennifer Knapp assumiu que é lésbica e pediu compreensão aos fãs. Ela vive com a namorada há oito anos. Famosa no meio evangélico, Jennifer já vendeu mais de 1 milhão de discos

Algumas garotas lésbicas afirmam ter o famoso “gaydar”, ou seja, um radarzinho natural que identifica se a menina ficaria ou não com outra mulher. Eu não faço parte desse grupo. Nunca consigo descobrir se uma menina é ou não lésbica, a menos que ela seja bem masculina.

O problema em ficar tentando descobrir isso é que às vezes nem a menina sabe que gosta. Eu, por exemplo, até uns anos atrás, achei que nunca fosse beijar uma garota. Mesmo pensando nisso em muitos momentos da minha vida. Quando faço uma retrospectiva, começo a perceber que sempre tive uma queda por mulheres, mesmo que isso tenha sido algo do tipo: achei bonita e de repente beijaria.

Quando eu era mais nova (tenho 26 anos), sempre “brincava” com uma amiga que a beijaria. Isso nunca aconteceu (com ela). Mas sabe quando você acha que se tivesse investido poderia ter rolado? A forma como ela olhava era diferente. Uma vez, ela me encostou na parede e disse que iria me beijar. Nos olhamos e demos risada e nada aconteceu. Pode ser uma fantasia minha daquela época, mas acho que poderia ter rolado se alguma das duas fosse um pouco mais corajosa.

Alguns anos se passaram e só então acabei beijando uma menina, como conto neste post. Achei que seria só mais uma aventura. Até que o desejo começou a aumentar e precisei beijar outras garotas… e a coisa só foi aumentando. Foi uma mistura de tensão com um desejo forte e uma sensação absolutamente diferente. Não sei se era só a vontade de beijar uma mulher, mas achei o beijo algo incrível. A boca das mulheres são mais sensíveis, o beijo é intenso e o toque é indescritível.

E como saber se é possível viver essa experiência com a garota que você está interessada? Vou elencar algumas constatações, lembrando que isso não é uma regra, eu não sou nenhuma especialista e talvez algumas visitantes desse blog possam dar orientações ainda melhores. Aliás, as dicas serão muito bem-vindas para melhorar o conteúdo desse post.

Olhar
Se a garota te olha muito fixamente, desvia o olhar e volta a te encarar, pode significar um: quem sabe alguma hora não rola, se você também flertar comigo?

Unhas
Se elas estão curtas pode ser um bom sinal. Afinal, nenhuma lésbica teria unhas compridas por uma questão óbvia. A maioria faz questão de deixá-las pintadas e bem cuidadas. Mas, se a menina tem unha comprida, não significa que ela não poderia ter uma experiência homossexual, mas pode significar que ela nunca teve. Mas sempre há uma esperança.

Namoro uma pessoa
Se você tem um namoro homossexual e não quer abrir isso para o mundo, geralmente você não diz o nome do namorada e se refere a ela como “a pessoa que eu namoro”. Evitar falar muito sobre a parceira pode ser outro indício.

Despojadas
Muitas garotas lésbicas ou bissexuais têm um estilo mais básico e discreto. Às vezes usam bolsa carteiro ou um All Star. Mas outras não seguem nada desse figurino. São extremamente femininas: salto alto, bolsa, calça e blusa justinhas. São as “femininas” mesmo.

Falar de homens não significa nada
Não desanime se você a ouve comentar frequentemente sobre homens. Principalmente se ela for bissexual. Uma vez ouvi uma heterossexual que falava de homens toda hora soltar a frase: sabe que acho bem interessante ver Playboy? Pode também não signicar nada, mas achei que dizia muito. Na verdade, eu não vejo a mínima graça em ver a revista, mas talvez o comentário dela pudesse ter sido algum desabafo. Enfim, vai saber…

Devo investir?
Se ela não for uma grande amiga sua, é mais fácil. Afinal, você não terá muita coisa a perder. Caso contrário, é realmente um dilema. Mas, para tirar a dúvida, um bom termômetro pode ser avaliar: o desejo se tornou incontrolável e não dá mais para manter somente uma amizade? Se está nesse nível, vale tentar sondar se ela beijaria uma mulher. No início, ela pode negar. Uma boa maneira pode ser falar a ela que você teria essa coragem e reparar na reação dela. Daí, quem sabe?