Quantos bissexuais existem no país? Segundo uma pesquisa do Datafolha são 5 milhões. Eu não estou nessa contagem, afinal, não sou assumida. Se existem muitas pessoas como eu (o que eu acredito MUITO), esse número pode ser confortavelmente multiplicado.

Como saber se você é bissexual? Essa é uma pergunta que pode atormentar a vida de uma pessoa – principalmente se ela vive em círculos de amigos preconceituosos. Responder a ela, pode ser um “bom motivo” para um grupo te expulsar da roda. E, convenhamos, será a melhor coisa a se fazer. Não aceite pessoas preconceituosas ao seu lado – definitivamente elas não irão te fazer bem. Agora se o preconceito vem da sua família, o problema aumenta desproporcionalmente. É realmente um problemão. E se não for possível lidar com ele, espere, pois um dia eles podem entender – e se mesmo assim isso nunca acontecer, é uma pena. Mas não deixe de ser feliz por causa disso.

A mãe de uma amiga lésbica disse que preferia uma filha morta a uma filha homossexual. Algum tempo se passou e hoje a mesma mãe passou a aceitar a sexualidade da filha. Às vezes, é só uma questão de tempo. Mas também há casos em que a família expulsa o filho de casa e nunca mais quer ouvir falar.

Enfim, é complexo lidar com isso. Principalmente porque a sexualidade não é uma escolha, é uma identidade. Ninguém escolher ser gay, lésbica, bissexual ou seja lá o que for. Você apenas aceita isso dentro de você e deixa de viver uma mentira só para obedecer a uma regra social obsoleta (antiga, arcaica, ou a melhor palavra que você puder encontrar).

A partir do momento que as pessoas começarem a entender que a homossexualidade e a bissexualidade são normais, teremos mais pessoas felizes (de verdade) no mundo.

Com que idade sei se sou bissexual?

Na verdade tem gente que descobre tardiamente. Eu descobri aos 25 anos – antes disso achei que fosse só um desejo por mulheres. Mas a coisa aumentou e não pude controlar. Mas dependendo da idade, ainda não é o momento de se precipitar. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, a educadora sexual Maria Helena Vilela, afirmou que na adolescência é comum a confusão entre admiração e tesão. Muitos jovens, então, acabam tendo experiências com o mesmo sexo, com amigos, por exemplo.

“Os adolescentes têm hormônios saindo pelos ouvidos e maior disponibilidade para o sexo, então é mais complicado separar a curiosidade”, explica Saadeh.

Ou seja, se você ainda é muito novo ou muito nova, pode ser só uma curiosidade. Mas se isso se intensificar na fase adulta, sim, você pode ser bissexual.