Essa é uma das principais perguntas que nos fazemos quando começamos a perceber que sentimos atração por mulheres. Antes de experimentar o beijo lésbico (e todo o resto), eu me perguntava o que eu realmente era.

Querer beijar uma mulher significa que sou bissexual? Estar com um homem e desejar uma mulher significa que posso ser lésbica? Ter desejo é apenas uma curiosidade que toda mulher pode ter?

Não há uma resposta única. Quando eu namorava um homem, me considerava heterossexual, com desejo de beijar mulheres – o desejo sexual não existia naquele momento. Eu afirmava então que tinha apenas um desejo, uma curiosidade que qualquer mulher pode ter. Aliás, todas as minhas amigas “heterossexuais” têm. Quando experimentei e percebi que também tinha um desejo sexual, me rotulei como bissexual (mesmo sabendo que o melhor é nos livrarmos de rótulos).

Então comecei a refletir. Namorei um homem por quase oito anos e me considerava heterossexual com desejos. Hoje, namoro uma mulher há mais de um ano. Eu deveria me considerar lésbica? Talvez, porque me relaciono apenas com ela e não penso em homens e sim exclusivamente nela. Mas e o meu passado? Não seria “injusto” dizer que não tenho atração por homens depois de tanto tempo com um (e outros tantos anos com alguns outros)?

Mas se hoje estou com minha namorada e imagino estar com ela para o resto da vida, será que me tornei lésbica? A minha opinião é que ninguém “vira” nada. Nós só temos sentimentos diferentes ao longo da vida. São as nossas experiências e desejos que nos dizem isso. E o desejo não vem do nada.

Às vezes esse desejo pode ficar escondido a vida inteira e uma pessoa consegue despertá-lo na imensa profundidade da nossa alma. E assim percebemos uma vontade que nunca havíamos percebido antes.

Acontece com muitas mulheres casadas há muito tempo. Elas sempre amaram os seus maridos, mas de repente se apaixonam por uma amiga ou começam a ter desejo por mulheres.

Então, a ideia da ausência de rótulos é a que melhor me satisfaz. Na verdade, se a sociedade realmente fosse sincera quanto aos verdadeiros sentimentos, não precisaríamos refletir sobre isso. Tudo seria absolutamente normal, não existiria nem as palavras gay, lésbica, homossexual, bissexual e por aí vai. A pergunta seria diferente: com quem você está namorando? Se a resposta fosse homem ou mulher não haveria surpresa.

Não estou aqui pregando que todas as pessoas gostam de homens e mulheres, mas que todas poderiam se relacionar com ambos os sexos ao longo da vida, se assim o quisessem. Sem crise.

E se mesmo com esses argumentos você ainda sentir extrema necessidade em se definir, seja simples e direta: gosto de pessoas. Na verdade, o mais importante ao tentar entender a sua identidade é não se preocupar em ter sentimentos e desejos diversos.

Se você deixar o preconceito que existe dentro de você de lado, verá que a pergunta que me levou a escrever esse post não precisa realmente ser respondida.

The page you were looking for doesn't exist (404)

404!

The page you were looking for doesn't exist.

You may have mistyped the address or the page may have moved.