A vontade de beijar uma mulher era um dos únicos grandes segredos da minha vida. Eu não tinha confidenciado esse desejo nem à minha melhor amiga. Achei que nunca falaria abertamente sobre o assunto com qualquer pessoa.

Era uma tortura olhar garotas nas ruas, no metrô e precisar disfarçar. Mas ao mesmo tempo eu me dava muito bem com os homens. Também flertava com eles, adorava namorá-los. O meu último relacionamento com um homem tinha sido muito bom. Durou quase oito anos.

Foi então que minhas amigas da faculdade começaram a falar abertamente sobre o assunto. Todas elas – que eu me lembre sem exceção – confirmaram que beijariam uma mulher. Nem todas morriam de desejo, mas todas teriam essa experiência sem nenhum problema.

Isso me ajudou a me libertar. A começar a falar sobre o assunto. Mas era sempre algo mais discreto, eu nunca afirmava com todas as letras que eu tinha vontade MESMO. Dizia que eu faria e poderia ser até legal. Foi então que me envolvi com uma amiga da faculdade, como contei por aqui.

Mesmo depois desse envolvimento, eu ainda não conseguia falar abertamente sobre o assunto. Era difícil… não saía, sabe? Então uma amiga me chamou para conversar um dia e disse que precisava contar algo muito importante. Ela estava visivelmente nervosa e demorou a desabafar. “Acho que estou apaixonada por uma mulher. Mas não queria te contar, porque achei que você poderia pensar mil coisas… que eu poderia dar em cima de você ou que você se sentiria incomodada em se trocar na minha frente”.

Comecei a rir… e ela me olhou surpresa. “Óbvio que eu nunca pensaria nada disso. Acho que todas as mulheres sentem isso e não falam. E aliás, eu também tenho vontade”.

Ela ficou aliviadíssima. E eu também. Mas só no dia seguinte tive coragem de ligar pra ela e contar que eu já tinha me envolvido com uma mulher. E depois disso foi muito mais fácil lidar com a situação.

O que quero dizer com toda essa história? Que só será mais fácil conseguir começar a aceitar a bissexualidade ou a homossexualidade quando você tiver coragem para compartilhar isso com alguém em quem você confia. Uma pessoa que poderá te dar segurança e te mostrar que essa sensação é a coisa mais natural do mundo.

Hoje namoro uma mulher com quem sou muito feliz. Minhas melhores amigas sabem. Minha família também. Nem todas as famílias ou amigos aceitariam isso da melhor forma possível. Os amigos, você pode trocar. Se eles não aceitam quem você verdadeiramente é, não são seus amigos de verdade. A família um dia precisará aceitar, porque isso é você, não tem como mudar. Não é uma opção, como todos já estamos cansados de saber.

Digo que é bom desabafar esse sentimento. Mas você não é obrigada a sair falando sobre sua intimidade com todo mundo. Fale quando se sentir confortável e preparada. Pode te fazer bem. Se preferir, comece compartilhando seus sentimentos conosco por aqui. Só é preciso externar isso de alguma forma, em algum momento.