Você pensa em mulheres e nunca esteve com uma. Provavelmente namora um homem e acredita que o ama, mas tem desejo por alguma amiga ou conhecida. Acabou de sonhar com uma mulher e descobriu que quer viver essa experiência.

O seu caso pode ser algum dos citados acima ou talvez algo parecido, não importa. Mas se você chegou até aqui, está com a mesma dúvida de quase todas as mulheres com quem conversei por aqui ou que conheço pessoalmente: como saber se sou bissexual?

Infelizmente não há uma fórmula mágica, nem um teste cientificamente comprovado (até onde sei, por favor me enviem se acharem). Há estudos de Alfred Kinsey, por exemplo, que revelam coisas que poucas pessoas confessam: ao longo da vida vamos mudando os nossos desejos e interesses. Alguém que se considera “totalmente heterossexual” pode começar a ter tendências homossexuais e se tornar bissexual. Ou exclusivamente homossexual. E por aí vai.

Então se os seus sentimentos estão começando a te deixar confusa, fique tranquila: é absolutamente normal. Acontece com quase todo mundo e você não precisa ter medo. Cabe a você fazer decisões: brigar com o preconceito e tentar viver uma experiência homossexual ou fingir que nada está acontecendo e ficar se remoendo todos os dias com esse desejo.

Se não gostar da experiência, a vida continua. Mas pelo menos você tentou se conhecer melhor, deu chance a si mesma para entender os seus desejos e sentimentos. E isso ninguém tira de você – ninguém pelo menos poderia fazer isso.

Não estou dizendo que é fácil. No começo travei para começar todo esse processo. Mas hoje me conheço mais e tive a chance de conhecer uma mulher maravilhosa. Eu me arrependeria muito se não tivesse tentado. O meu conselho é se preparar muito para isso e ter certeza de que você está pronta para lidar com o preconceito que possa existir dentro de você. O dos outros você administra depois. Afinal, você não precisa sair por aí contando para todo mundo as suas experiências, precisa? Se achar que sim, o faça naturalmente. As pessoas vão se acostumar. Cada vez mais.