Tenho uma amiga que sempre brinca comigo sobre o meu namoro com uma mulher:

- “Quem é o homem da relação?”
- “Não existe homem na relação, justamente porque são duas mulheres”, respondo sempre também em tom de brincadeira.
- “Mas precisa ter um homem… é você então, vai”, ela brinca de volta.

Essa brincadeira ilustra bem o que muita gente acha sobre um namoro homossexual. Em relação aos homens, um precisa ser mais afeminado e o outro mais másculo. E no caso das mulheres, muita gente julga que uma precisa fazer o papel masculino.

Isso não é verdade para muitos casais. É o caso do meu namoro. As duas são femininas e não precisam mostrar nenhum trejeito masculino para construir a ideia de um casal “heterossexual”.

Ao mesmo tempo, há muitos casos em que isso acontece. Conheço uma mulher de 40 e poucos anos que é casada há alguns anos com uma mulher da mesma faixa etária. Uma delas é bem masculina, tem os cabelos curtos, trejeitos masculinos e até fala como homem.

Outro dia, a mais feminina começou a me confidenciar algumas coisas sobre a relação. Uma das confidências era bem surpreendente. Enquanto ela fazia todas as tarefas domésticas em casa, a masculina não mexia uma vassoura. “Ela nasceu no corpo errado”, me contou a feminina.

Elas estavam enfrentando uma crise por conta disso. Na verdade, acho que a masculina nem sabia dessa crise, mas a feminina estava nitidamente insatisfeita com a situação.

“O que eu devo fazer?”, ela me perguntou. Eu disse para conversar com a esposa abertamente. Ela respondeu que não queria conversar sobre o assunto. “Ela deveria perceber esse tipo de coisa. Quando eu pego a vassoura, ela já deveria saber que precisa me ajudar. Não é algo que preciso falar, não é?”.

Na verdade é algo que precisa ser falado sim. Às vezes, a pessoa está deixando de fazer algo e ela nem percebe. O que para nós pode parecer algo simples e habitual, pode não fazer parte do mundo da outra pessoa. Às vezes a mãe dessa mulher masculina sempre fez tudo pra ela, ou às vezes ela acha que a sua esposa gosta de fazer isso e pronto, ela não precisa ajudar.

Também quero deixar claro que não estou aqui atacando os homens. Muitos deles são exemplos em casa: arrumam, lavam, passam, cozinham, etc.

Mas não podemos negar que ainda vivemos em uma sociedade machista. O pior de tudo é que muitas mulheres ainda colaboram com esse pensamento. Muitas avós e senhoras ainda falam que “não se fazem mais mulheres como antigamente” e apontam o dedo para as novas mulheres “independentes” , que querem dividir as funções com os maridos. Para elas, isso é um absurdo. O homem precisa ser servido.

Felizmente, o mundo está mudando. Mas algumas pessoas ainda não se deram conta disso. É uma pena que algumas mulheres  queiram incorporar a pior parte do lado masculino diante de tantas qualidades que os homens têm.

Você passa ou já passou por isso?