apoioContei no último post que depois de dois anos de namoro, minha namorada confidenciou para a mãe dela que éramos um casal. Ela disse que já sabia, mas não concordava. Apesar disso, falaram naturalmente sobre o assunto. Até fizeram algumas brincadeiras inicialmente. Algumas semanas depois, a família dela passou a me tratar ainda melhor. Disse, inclusive, que eu era uma pessoa da família e me deu até presente de Natal. Foi maravilhoso ter o carinho dessas pessoas que hoje considero como familiares queridos!

Nem sempre foi assim. A primeira vez que conversaram sobre o assunto, a mãe dela chorou descompassadamente. Chorou, chorou, chorou e chorou tanto que elas nunca mais falaram sobre isso. Dessa primeira conversa se passaram mais de quatro anos, e hoje a mãe dela consegue “respeitar” melhor essa ideia, apesar de não “concordar”.

Quando as pessoas te amam de verdade e procuram entender o que te faz realmente feliz, elas respeitam os seus sentimentos. Em um primeiro momento, contar para as pessoas próximas e familiares sobre quem você é de verdade pode causar um turbilhão de sentimentos negativos: raiva, xingamentos, falta de compreensão, ignorância e por aí vai.

Mas aos poucos, isso pode mudar. Não estou falando que isso vai acontecer com todos os pais e seus amigos. Não tenha essa ilusão. Infelizmente, existem pessoas que nunca irão respeitar a homossexualidade e a bissexualidade. Mas acredito que esse tipo de gente é cada vez mais rara na sociedade. Ou pelo menos, quero acreditar.