Beijo lésbicoNão sou uma crítica ferrenha das redes sociais. Não mesmo, pelo contrário. Acho que elas ajudam a nos comunicarmos com muitas pessoas que talvez nunca mais veríamos. E que talvez nunca mais vamos ver mesmo…apenas nas fotos, nas palavras, frases e vídeos compartilhados.

Só sei o que se passa na vida da maioria dos meus amigos do Facebook pelas fotos. Vejo os casamentos, as viagens românticas, os beijos carinhosos, os filhos brincando. Tudo parece lindo, mágico.

Tenho uma amiga que vive postando fotos românticas. Falo raramente com ela. Conversando sobre ela com outra amiga, perguntei como andava o namoro. Minha amiga respondeu: “Mais ou menos viu, eles brigam muito”. Fiquei perplexa. Eu podia jurar que eles quase não brigavam, que era um namoro tranquilo. Pelo menos era o que as fotos do Facebook me diziam.

Claro, o Facebook, na maioria das vezes, serve para mostrar momentos de felicidade. Com raras exceções, ele omite a dor, as brigas, os problemas familiares e do casamento. Para quem não está bem chega a ser até deprimente ver tanta gente feliz ao mesmo tempo.

Muitos reclamam de “tanta felicidade”, mas não deixam de compartilhar a deles. Afinal, é tão bom registrar os momentos felizes. Essa é uma das coisas que têm me feito falta. Os meus registros sempre são pela metade. Se coloco uma foto com minha namorada, a imagem é bem discreta. Parece que somos amigas. Não há foto de beijo, nem de abraços carinhosos, muito menos declarações de amor. Eu sou uma pessoa romântica, ela também. Então é doloroso não expor o amor como ele poderia ser exposto.

Quase ninguém do meu Facebook sabe do meu relacionamento. Assim como no dela. Então ainda não nos “arriscamos” a começar a compartilhar o que realmente gostaríamos. São mais de dois anos e meio de namoro, sem registros públicos. Uma pena.

Muita gente poderia dizer que isso é uma completa bobagem. Pra quê se preocupar em compartilhar momentos românticos e de alegria com gente que você pode nunca mais ver? Porque talvez seja importante mostrar que namorar alguém do mesmo sexo traz mais felicidade do que muitas pessoas poderiam imaginar. Poderia ser uma forma de fazer as pessoas sentirem que há um lado extremamente bom em um relacionamento que as pessoas julgam ser difícil.

Até quando pretendo ficar nessa situação? Não faço a mínima ideia. E, por isso, continuarei incomodada. Mas, óbvio, não adianta reclamar. A maior culpada de tudo sou eu mesma. Se quero mudanças na sociedade, preciso começar a fazê-las, não é? Pretendo dar esses primeiros passos em breve e espero poder compartilhar aqui com vocês e com os meus amigos do Facebook, claro.

—> — < —

E você, namora alguém do mesmo sexo e nunca compartilhou nenhuma foto nas redes sociais? Como você se sente em relação a isso? E para quem compartilha, conte a reação das pessoas