lesbian-datingQuando eu entrava no bate-papo para conhecer mulheres, lembro que muitas meninas mais novas só queriam conversar com mulheres mais velhas. Uma vez, iniciei um papo com uma garota de 18 anos. Na época, eu tinha 25. Ela perguntou minha idade e depois disse que não queria mais conversar. Perguntei o porquê e ela respondeu que estava a procura de mulheres acima de 30 anos. Ela queria alguém experiente.

Achei uma besteira aquilo. Experiência é algo relativo. Existem mulheres de 40 anos que quase não tiveram experiências sexuais, por exemplo. E outras de 30 que podem contar um livro sobre isso. No quesito homossexualidade então, nem se fale. Muitas mulheres começaram a experimentá-la muito tarde e às vezes não sabem nem como iniciar uma conversa (com segundas intenções) com alguém do mesmo sexo.

Uma leitora me confidenciou que está apaixonada por uma mulher 10 anos mais velha que ela. Ela não sabe como abordá-la. Tem medo de que ela a ache uma criança. Realmente, muitas mulheres mais velhas têm essa cabeça e fica mais complicado tentar uma abordagem.

Mas, por sorte, tenho um case de sucesso para a contar a vocês. A minha namorada é cinco anos mais velha do que eu. No início, tive esse mesmo receio. Antes dela, só tinha saído com mulheres da minha idade ou um pouco mais novas. Quando a minha namorada disse a idade bateu um “medo”, mas mesmo assim decidi ir adiante.

No nosso primeiro encontro conversamos bastante. Percebi que ela realmente tinha me achado mais “novinha”, muito “menininha”. Então engatei um papo mais sério. Disse o quanto era responsável e comecei a refletir o que eu achava sobre a vida. Reparei que o tom mudou um pouco. Achei que talvez ela tivesse começado a me ver com outros olhos.

Ainda não tinha sido suficiente. Como eu estava muito nervosa, o primeiro encontro foi muito bom, mas eu ainda não estava segura sobre o que ela havia achado sobre mim.

Quando cheguei em casa no dia pós-encontro, mandei uma mensagem no celular dela dizendo que tinha adorado conhecê-la e que gostaria de repetir a dose. Ela não marcou data, mas disse que isso poderia acontecer.

Voltamos a conversar nos dias posteriores e marcamos um novo encontro. Atitude conta muitos pontos com mulheres mais velhas. E funcionou com ela. A segunda vez foi ainda melhor. Mostrei quem eu realmente era e ela também. Nos sentimos mais à vontade. Eu estava menos nervosa e menos insegura. Diferente dela, que desde o primeiro dia mostrou mais segurança – ela falava bastante também, o que eu achei ótimo (risos).

Acho que não há muito segredo em tentar conquistar uma mulher mais velha. Basta ela perceber quais são as suas verdadeiras intenções. É lógico que conta muitos pontos o fato de você ser uma pessoa responsável e com uma cabeça mais “formada”, mas o mais importante é sempre mostrar quem você é de verdade. Não adianta querer inventar palavras ou situações para impressionar. Uma hora ela vai perceber que aquilo não é verdadeiro. E se ela for a pessoa certa pra você, nada melhor do que a verdade para agilizar esse processo. Boa sorte!