628x471Paulo* e Laura* têm uma filha e são casados há 10 anos. No início, a vida sexual do casal era bem ativa e com o tempo (como muitos casais) foi esfriando. Laura* não chegava perto dele e brigava se ele tentasse alguma coisa. Às vezes passavam dois meses sem encostar um no outro. Ela confessou que já não tinha mais nenhum interesse.

Certo dia, ela teve um sonho com uma amiga e contou a Paulo* como tinha adorado aquela situação. Mas ao contrário do que o marido poderia imaginar, todo aquele desejo por ele parecia ter voltado. Fazíamos “quase todos os dias, em todos os lugares”, contou Paulo* ao BlogSouBi por e-mail. “Isso, no início, me deixou um pouco assustado, mas como sou muito cabeça aberta e não tenho nenhum tipo de preconceito, aceitei essa fantasia dela”.

Ele chegou a propor que realizassem juntos a fantasia. Laura* respondeu que não tinha coragem. Os sonhos não pararam e ela sempre recorria a ele. Paulo* continuou achando tudo muito estranho e começou a indagá-la sobre a situação. Ela confidenciou que estava confusa, mas que tinha certeza de que tudo não passava de uma fantasia, logo passaria.

Como todo marido curioso, um dia ela saiu às pressas e ele decidiu “pesquisar” o histórico do computador dela. Laura* confessava tudo o que estava acontecendo a alguém. Ela dizia que estava começando a olhar as mulheres com outros olhos, queria beijá-las, senti-las. Ela queria contar à amiga sobre os seus sonhos, mas não tinha coragem.

Resultado: Paulo* está perdido e não sabe o que fazer. Ele me perguntou como poderia ajudá-la e pediu para que publicasse a história no blog para que outras pessoas pudessem colaborar com opiniões.

Abaixo, ele fez um mini-questionário ao blog. Tentei responder baseada no que as leitoras costumam me contar. Reforço que não há nenhuma base científica nas respostas, portanto é sempre bom conversar com a pessoa ou recorrer a um psicólogo, ok?

Como posso fazer para ajudá-la?

Pelo visto ela está bem perdida e não sabe muito bem o que quer. Acho que quando ela começou a ter os sonhos com a amiga dela, quis rejeitar esse desejo. E a melhor forma de fazer isso é recorrendo a você. Ao que parece, ela realmente queria estar com você e aparentemente não queria sentir o que estava sentindo. É o que as leitoras costumam me contar. Quando descobrem o desejo pelo mesmo sexo “insistem” com os maridos. É difícil ir contra os desejos e sentimentos. Não é culpa dela e sei que você compreende isso. Entendê-la e realmente apoiá-la será a melhor forma de ajudá-la na minha opinião. Converse com ela sem preconceito, diga a ela que quer o melhor. Não adianta forçá-la a ficar com você, se ela não sente mais atração. Você me entende? Até você vai poder ser mais feliz com outra mulher, se tudo isso que eu te falei for mesmo verdade. O mundo tem mais possibilidades do que imaginamos. Converse com ela, tente descobrir isso. Diga a ela para ir a um psicólogo sozinha, se ela preferir. Ela deve estar muito confusa e um especialista pode ajudá-la.

Será que o período que passamos sem sexo foi por causa disto?

Prefiro não afirmar nada. Mas pode ser.

Será que ela é realmente bissexual ou homossexual e não descobriu ainda?

Pode ser também. Aparentemente, ela está tentando rejeitar esse desejo ainda. É difícil para algumas mulheres essa aceitação. Algumas demoram anos para admitir para si mesmas a verdadeira sexualidade.

Será isso apenas uma fantasia sexual mal interpretada?

De repente um psicólogo pode ajudá-la a descobrir.

Eu a apoio a beijar a amiga ou outra mulher para saber se não se passa de um mal entendido?
Essa decisão é realmente sua. Há consequências e você sabe quais são. Talvez seja melhor conversar antes e tentar deixá-la livre para escolher o que fazer. Se você a ama de verdade vai deixá-la escolher o que ela realmente quer fazer da vida.

Será que ela não me ama mais?

Converse com ela, será a melhor opção.

Como posso fazer para que ela me conte tudo sem pressionar ou ser chato?

Converse da mesma forma que você conversou comigo. Diga sem preconceitos e sem querer pressioná-la a nada. Fale que você também é amigo dela e quer ajudá-la a ser feliz. E se essa felicidade não for com você, que você a ajude a ser com outra pessoa. Que você quer realmente o bem dela.

Por que ela me confidenciou os sonhos e a tentação que sentia?

Acredito que ela precisava conversar com alguém sobre isso e tratar isso de forma natural. Quis dizer que era apenas um sonho e etc. É o que parece. Mas repito, converse com ela amigavelmente e a ajude.

Paulo* também quer a opinião de vocês, se puderem colaborar, ajudas são bem-vindas.

*Os nomes foram substituídos a pedido do envolvido

The page you were looking for doesn't exist (404)

404!

The page you were looking for doesn't exist.

You may have mistyped the address or the page may have moved.