rejeiçãoQuando comecei a me interessar por mulheres, um dos meus maiores medos era receber um “não” categórico. Era uma grande dificuldade abordar uma mulher, eu tinha pavor de ser rejeitada. Ficava horas imaginando o momento que uma garota poderia me dar um fora e eu iria sair dali correndo, pra ninguém perceber o que tinha acontecido.

Nesses momentos, eu realmente entendi os homens. E me arrependi de ter falado muitas coisas sobre eles. “O cara é um banana, não chega junto da menina, não sabe o que falar”. Nossa, nem me lembro de quantas vezes falei isso.

Paguei com a língua. Antes de entrar nesse universo que me obrigou a ter de “tomar atitudes”, eu era acomodada. Sim, as mulheres, na maioria das vezes, são muito acomodadas. Quando nos envolvemos com os homens é muito mais fácil. É só dar alguns sinais e esperar ele vir. E quando não vem, é quase massacrado (não só pelas mulheres, mas pelos amigos).

Os homens, assim como nós, também têm medo da rejeição. É horrível receber um não. A diferença é que eles já estão mais acostumados com isso. Depois de levar tantos “não”, eles sabem que em algum momento vão levar um “sim”. E as coisas acontecem mais facilmente.

Quando vou a balada gays com predominância do sexo masculino percebo como as relações acontecem com mais naturalidade. Dificilmente meus amigos gays ficam sem conhecer alguém em uma noite, ao mesmo tempo que vejo mulheres isoladas, apenas trocando olhares com outras durante horas.

Claro que um jogo de sedução é interessante. É o que pode deixar tudo mais emocionante e sabemos muito bem disso. Ir com sede ao pote nem sempre é a melhor decisão.

Há ainda casos mais complicados. Se apaixonar por uma amiga pode ser terrível, porque o medo de perder a amizade toma conta.

Mas em todos os casos chega um momento em que você precisa tomar uma atitude. Por isso, depois de analisar a situação, deixe o medo de lado e arrisque. O máximo que você vai receber é um não. Só vai precisar aprender a conviver com isso.