Amor impossivelVamos a mais uma história de amor real entre duas mulheres contada ao BlogSoubi. Elas se conheceram no trabalho e ficaram amigas. Nenhuma delas havia se interessado alguma vez por uma mulher, então demoraram a perceber o sentimento que nascia aos poucos.

Como a maioria das pessoas que descobre o sentimento por uma pessoa do mesmo sexo, elas tentaram lutar contra. “Acho que todo mundo que passou por isso sabe que não é nada fácil, lutar contra os conceitos, os preconceitos, as circunstâncias, as crenças, os valores da sociedade e toda essas perguntas”, contou uma das personagens dessa história por e-mail.

Mas elas ultrapassaram todos esses obstáculos. “Quando se ama de verdade, não existe nada que não ultrapasse as barreiras, não importa mais a idade, a cor, a embalagem que a pessoa veio e o que os outros vão dizer”, disse a mulher apaixonada.

Foi então que há um ano e cinco meses, no dia 8 de março de 2012, elas deram o primeiro beijo, seguido de um intenso e demorado abraço.

Essa relação, no entanto, não tinha espaço para crescer. Há um ano e cinco meses, elas sofrem diariamente com essa situação. Uma delas não pode se comprometer. Tem família, filhos, marido. Ela já tentou se desvencilhar, mas foi em vão. E não vamos entrar nesses detalhes em respeito à privacidade das leitoras.

A outra continua solteira e nunca mais se relacionou com ninguém, depois de ter sentido a “melhor sensação do mundo”, como ela mesma descreve no e-mail.

Elas se falam pelo celular, Facebook e, de vez em quando, se encontram. Mas evitam se envolver. Por enquanto, é um amor que está guardado, não pode se desenvolver.

É mais um dos dilemas vividos por leitoras do blog. Duas pessoas que se amam e não podem viver o amor por conta da família e dos nossos “padrões sociais” (não vou cansar de falar sobre isso). Vez ou outra, as duas trocam juras de amor nos posts do blog, mas sempre com muita discrição.

A leitora, autora do e-mail, diz que não vai desistir. “Eu poderia viver mil anos, se eu não tivesse descoberto esse amor, não teria valido a pena. Não me arrependo e me sinto uma pessoa amada, mesmo longe e com todas as barreiras”, confidencia.

Muitas pessoas poderiam dizer: “Mas por que elas não vivem logo tudo isso, em vez de ficar esperando? Aliás, o que elas estão esperando?”.

Há uma série de fatores envolvidos. O egoísmo de outras pessoas, o medo das críticas, das reprovações e a nossa tentativa de sempre tentar agradar mais aos outros do que a nós mesmos.

Apesar de tudo isso, acredito que em algum momento e, com muita coragem e esforço, todos esses amores não vividos conseguirão encontrar o melhor caminho para ser feliz. Se depender da mulher que contou essa história de amor por e-mail, pedindo que ela fosse publicada em homenagem à sua amada, acho que esse caminho poderá ser mais curto.

—————————————————————————————————————————————————————————————-

E vocês, vivem alguma história de amor (quase) impossível? Contem também as suas histórias