É 2050. As pessoas veem o vídeo abaixo e dizem: “Nossa, o mundo era assim? As pessoas julgavam que o casamento homossexual não era normal? Um gay não podia nem encostar o pé no parceiro? Não dá pra acreditar”.

Essa é a minha projeção para o futuro. O meu sonho, a minha luta e a de tantas outras pessoas. O documentário, produzido pelos alunos de jornalismo da ECA-USP, mostra que ainda é preciso muita reflexão e discussão para que toda a comunidade LGBTS tenha seus direitos respeitados.

Aqui em 2013, ainda existe a ideia de que a união entre pessoas do mesmo sexo é pecado. Veja o exemplo da juíza de paz, Esther Godoy, retratado no vídeo. Ela realizou mais de 20 mil casamentos civis em São Paulo. Quando lhe disseram que ela teria de fazer o primeiro casamento gay, teve “labirintite”, ficou profundamente incomodada com a situação. Até que uma autoridade da Igreja disse: “Faça a sua função, de casamento no cartório. Não precisa falar em Deus”. Esse conselho a acalmou. Não a julgo, afinal, a maioria das pessoas têm uma formação religiosa que as leva a pensar dessa forma.

Mas acredito que se as pessoas começarem a observar melhor, vão encontrar Deus mesmo onde elas achavam que não poderiam encontrá-lo.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=54OekEJ7BNE&w=640&h=480]