Um bom filme lésbico para refletir suas questões

Um bom filme lésbico para refletir suas questões

“Nunca me atraí, nem me apaixonei por outra mulher. Foi apenas ela, é apenas ela”. Essa frase já foi feita por muitas mulheres que conheço. Elas dizem que sempre se atraíram e se envolveram com homens e nunca uma mulher havia chamado a atenção delas.

Belo dia, eis que uma única mulher muda tudo o que elas pensavam sobre elas mesmas. Não sabem dizer o porquê. Explicam que não é uma questão de beleza – os alvos da atração passam longe de ser modelos. Mas aconteceu, simplesmente aconteceu.

Tentei puxar explicações em relação a isso, mas ninguém conseguiu completar um raciocínio a respeito. Continuo sem entender. Por que apenas um ser do sexo feminino conseguiu despertar o desejo lésbico em todas essas mulheres?

Parei para refletir sobre o meu próprio caso. Apesar de ter me apaixonado apenas por uma mulher – a minha namorada -, já me atraí por muitas outras (e me envolvi com elas).

É fato que nunca pensei namorar uma mulher, ter uma relação duradoura com alguém com o “mesmo corpo” que eu. Mas, no fundo, eu sabia dessa possibilidade. Talvez só não quisesse aceitar, achava que seria estranho.

Agora, nunca ter olhado para outra mulher e um dia se apaixonar por uma? Qual seria a explicação para isso? Seria o jeito da pessoa, o modo de olhar, o bom papo? Algumas pessoas citam carência e ausência de um par masculino à altura. Mas se fosse isso, como rolaria toda a química, o jogo de sedução? Não dá para um heterossexual simplesmente começar a se interessar por alguém do mesmo sexo apenas porque está carente. Ou dá?

Como eu disse, ainda não consegui entender. Deixo a vocês, que passaram ou passam por isso, essa explicação. Vamos debater.