Há mais de 10 anos, uma novela da TV Globo transmitiu um beijo gay. As bocas eram das personagens interpretadas por Alinne Moraes e Paula Picarelli, em Mulheres Apaixonadas (2003). Como vocês poderão ver no vídeo abaixo, o selinho foi bem tímido, até um pouco distante da boca, mas simbólico.


Passada mais de uma década, o Brasil ainda cria uma grande polêmica sobre um beijo gay em novela, como se fosse preciso pedir desculpas ao conservadorismo. Nesta sexta-feira (31/01), muitos brasileiros torcem por um beijo entre os personagens Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso). Em seu Facebook, o deputado federal Jean Wyllys, homossexual assumido, criou até uma campanha intitulada 
#BeijaFelix clamando por esse acontecimento. “As cenas de afeto entre Félix e Niko já são uma vitória, é certo, mas falta o beijo. É preciso exibi-lo no último capítulo. Do contrário, a oportunidade cairá de maduro e a Globo terá perdido o trem da história”, disse ele em seu Facebook.

O BlogSoubi faz votos para que essa campanha surta algum efeito no final da trama. Se a intenção do autor era começar a minar o preconceito homossexual, o beijo precisa acontecer. 

Mas enquanto aguardamos apenas um selinho (minha expectativa é baixa), o SBT não precisou de campanha para transmitir um beijo lésbico (não foi um simples selinho), na novela Amor e Revolução (2011). Nem a TV Manchete em Mãe de Santo (1990), há mais de 20 anos. Pasmem.

Amor e Revolução (2011), SBT


Mãe de Santo (1990), TV Manchete