Uma parte importante da aceitação da sexualidade é descobrir que há milhões de pessoas iguais a você pelo mundo. Não saberia descrever o quanto me sinto bem ao assistir a um beijo lésbico em algum bar ou de saber que meu vizinho é gay ou bissexual.

É um sentimento de pertencimento. É ter a sensação de que você não está sozinha no mundo.

Com a emocionante obra “Todo o amor é igual“, o fotógrafo Braden Summers conseguiu reforçar todas essas sensações positivas em mim. Ele me fez acreditar no cenário que sempre vislumbrei: o mundo me aceita, todas as religiões compreenderam que isso não é pecado e não há mais violência, nem preconceito. Só amor.

Para transmitir tanta esperança e beleza, Summers viajou durante seis semanas ao redor do mundo clicando casais no Reino Unido, França, Índia, Líbano, Brasil e Estados Unidos.

Agora é a vez de vocês de se emocionarem. Coloquem uma música de fundo (minha sugestão é I Wish You Love, com Rachel Yamagata) e apreciem as fotos.

Vou adorar saber o que sentiram. Compartilhem.

→ Você se considera bissexual? Não deixe de participar da enquete do BlogSoubi