Muitas mulheres fogem dos seus desejos. Elas não querem admitir que estão apaixonadas por outra mulher. Dão desculpas, dizem que não se interessam, mas o olhar diz outra coisa.

Admitir o interesse por outra mulher é, para uma boa parcela, muito difícil. No começo, costumamos dizer que é mera curiosidade. Para algumas pode ser, mas para a maioria das mulheres com quem conversei não foi.

Uma leitora conta que quando começou a querer se relacionar com mulheres ainda estava casada com um homem. Ela conheceu Patrícia* na internet. Conversaram por um mês diariamente. Cada uma enviou apenas uma foto. Essas fotografias foram a base para a imaginação de ambas nas longas horas em que passavam conversando por chat ou e-mail.

Patrícia* era lésbica assumida. No início, não quis se envolver com uma mulher bissexual, principalmente porque ela era casada. Mas veio a foto, o bom papo, e ela acabou se deixando envolver. Patrícia* começou a dizer que poderia começar a surgir uma paixão que ela não queria.

- Não quero me envolver com você. Minhas amigas já me alertaram. Isso não vai ter um bom fim. Um dia vou parar de falar com você. Vou sumir. Não consigo mais parar de conversar…entro todos os dias para ver as suas mensagens. Está ficando demais. E você não vai se separar dele. Não sabe o que quer ainda, não quero ser a sua experiência.

Ana Paula estava mesmo confusa, não sabia ainda muito bem o que queria. Disse que não faria Patrícia de boba, que elas poderiam tentar ao menos se conhecer, mas que por enquanto não iria se separar do marido.

Patrícia contou que já tinha tido uma experiência ruim com uma outra mulher que conheceu pela web. Essa mulher foi até a casa dela algumas vezes. O papo também era ótimo. Um dia, a garota apareceu com um homem na casa dela. Disse que era o namorado e a convidou para uma “festinha”. Patrícia fechou a cara na porta dos dois.

Não queria viver algo parecido novamente. E não viveu. Depois de alguns dias sumiu, do jeito que havia prometido.  Nunca mais se falaram. Ana Paula sabia que, naquele momento, Patrícia talvez estivesse fazendo a coisa certa.

Ana Paula ainda não conseguia entender aquele sentimento, o desejo por mulheres. Ela queria muito se relacionar, mas não almejava nada sério. Era apenas para matar a curiosidade. Viu o casamento ruir pouco tempo depois. Ela diz que já estava desgastado, já tinha tentado todos os caminhos possíveis.

Era hora de viver a liberdade que ela queria. Mesmo assim, ficou alguns meses confusa, escondendo esses sentimentos, até conseguir entender que realmente desejava vivê-los intensamente. Hoje, consegue se relacionar com mulheres normalmente, sem crise.

Ela reflete muito sobre como teria sido sua relação com Patrícia. Teria tido uma vida dupla ou terminado o casamento por ela? Ou a teria encontrado, se apaixonado, mas nunca tido coragem para um beijo? Ela nunca vai saber.

Arriscar uma relação com uma mulher confusa pode causar muita dor. Depende de como ela vai amadurecer o sentimento. Pode acontecer de ela conseguir lidar e ser feliz, como aconteceu comigo, mas nem todas conseguem ir por esse caminho.

Muitas leitoras já contaram que sofrem há anos por não terem tido coragem de viver um grande amor. Ou por aquele beijo nunca ter acontecido. Fica só na fantasia, só na imaginação. Ter paciência para esperar uma mulher confusa pode ser um grande presente no futuro, mas também uma grande decepção.

Se você acha que vale a pena o risco, esteja preparada.

*Os nomes são fictícios

Já aconteceu com vocês? Compartilhem suas histórias.